(51) 3428-3472

Quadrilha pratica o golpe do cartão de crédito do Citibank

Como dizia o saudoso escritor Mário Quintana, "em tempos bicudos", é normal aparecer propostas irrecusáveis que fazem os consumidores, geralmente negativados, acreditarem nos milagres que só estelionatários podem realizar. Já recebemos denúncias de caírem na super proposta de RETIRADA DO NOME DO SPC E SERASA, por conta de uma pessoa que trabalha dentro destes órgãos de restrição de crédito, ocorre que estes tipos de crimes têm uma característica que denuncia que se trata de um crime: Precisa depositar o dinheiro antes e em até 48 horas seu nome estará limpo, isto não acontece e a pessoa não consegue mais contato com o perfil do criminoso, no Facebook, e desaparece após receber o valor cobrado que geralmente se trata de uma porcentagem do total das dívidas. 
Agora começou a circular mais uma propostas destas que vai fazer os desavisados caírem sem pensar porque PROMETE UM CARTÃO PARA NEGATIVADOS com limite de R$ 3.500,00 a R$ 50.000,00 (para pessoas físicas). O esquema funciona da seguinte forma, você recebe um e-mail que sugere um número do Whatsaap 11 97141 2552 que sugere que fale com a Fernanda.

RESULTADO DA INVESTIGAÇÃO DA ABRASTELECOM
Nosso departamento de investigação fez o contato, para entender como funciona o golpe e falamos com a Fernanda e ela disse que trabalha no setor responsável pela aprovação dos cartões de crédito do Citibank e nos pediu que solicitasse o valor do limite e dissemos que queríamos R$ 4.000,00 (imagem do print da conversa) e disse que bastava enviar uma foto do Rg, Cpf e comprovante de endereço. Imediatamente pediu para quando que precisaríamos o cartão e dissemos que era para hoje e ela disse que deveríamos depositar o dinheiro hoje ainda. 
Sem qualquer dúvida, estas pessoas não tem nenhuma argumentação e disseram que não garantem a aprovação, mas o dinheiro teria que ser depositado antes.
APÓS LER ESTE ARTIGO, QUAL DE VOCÊS ACEITARIAM ADERIR AINDA A ESTA PROPOSTA?
Esta é a principal atribuição da nossa entidade, investigar e evitar ou punir os culpados.

Fonte: Investigação dos crimes de consumo da Abrastelecom     

Publicado em 20/06/2016